Autocarro 

Coronavírus - boas práticas para utilização de ar condicionado em autocarros.

A saúde dos passageiros e dos condutores é a principal prioridade para os operadores de autocarros urbanos/interurbanos. Isto torna-se ainda mais importante na era do coronavírus. A par das regras gerais de higiene e de afastamento já em vigor, o foco está cada vez mais voltado para a melhor forma de utilizar os sistemas de ar condicionado. A MAN Truck & Bus está a dar aos condutores e operadores algumas recomendações importantes.

Em qualquer posto de trabalho, seja em bancos, supermercados, fábricas ou escritórios - as medidas destinadas a proteger contra infeções por coronavírus estão em vigor onde quer que se vá. A saúde dos passageiros e dos condutores é também uma prioridade máxima nos autocarros urbanos/intercidades. A par das regras gerais de higiene e de afastamento já em vigor, o foco está cada vez mais virado para a melhor forma de utilizar os sistemas de ar condicionado. Heinz Kiess, Director de Marketing Bus da MAN Truck & Bus, explica o que os operadores e motoristas de autocarros devem agora ter em mente para minimizar o risco de infeção na área dos passageiros.

O que deve ser feito para minimizar o risco de infeção?

Heinz Kiess: "Os condutores e operadores devem tomar várias medidas para reduzir a possibilidade de propagação do vírus em toda a área de passageiros no sistema de ar condicionado do autocarro. Em primeiro lugar, o sistema de ar condicionado só deve ser utilizado em modo de ar fresco - sempre que possível - e sem recirculação. Além disso, o sistema não deve ser desativado manualmente utilizando o interruptor, pois este apenas desliga o compressor do fluido refrigerante e não o ventilador. Para evitar reduzir a quantidade de ar fresco na área do passageiro, a velocidade do ventilador também não deve ser reduzida manualmente. Para autocarros com conjuntos de serviço, recomendamos o seu encerramento antes do início de uma viagem. Isto pode ajudar a colocar os passageiros mais à vontade, uma vez que já não serão atingidos por um fluxo de ar direto. Em vez disso, o ar só virá das aberturas de ventilação da conduta de tejadilho. Para aumentar a pureza do ar, os filtros de ar interiores do sistema de ar condicionado montado no telhado e a caixa frontal também devem ser substituídos a intervalos regulares e curtos".

Como funciona geralmente um sistema de ar condicionado para autocarros?

Heinz Kiess: "A temperatura selecionada na área do passageiro é regulada utilizando elementos de aquecimento na área do passageiro: estes estão situados tanto debaixo dos bancos como nas paredes laterais. A caixa frontal e o sistema de ar condicionado montado no tejadilho também ajudam a manter a temperatura selecionada. Com estes, a proporção de ar fresco e recirculado é regulada de acordo com as condições ambientais, utilizando o "controlo da área do passageiro". Neste caso, o ar é filtrado através de filtros de ar interiores instalados de série e, em certa medida, com filtros de carvão ativado. Mais adiante, o ar utilizado é descarregado através de condutas separadas. Com ventilação ativa, o ar usado é permanentemente evacuado do interior do veículo através destas condutas, o que garante uma circulação de ar sem interrupções".

Qual é o risco de infeção representado pelo sistema de ar condicionado?

Heinz Kiess: "Em teoria, não podemos excluir totalmente a possibilidade de infeção por coronavírus devido ao sistema de ar condicionado do autocarro. No entanto, estimamos que o risco é muito baixo. Outros fatores - principalmente a não aplicação das regras gerais de higiene e de afastamento em vigor - representam um risco de infeção muito mais elevado. É por isso que as medidas de segurança regionais, nacionais e internacionais recomendadas, estipuladas ou recomendadas pelas autoridades competentes, devem também ser respeitadas nos autocarros. Além disso, os condutores e operadores de autocarros devem assegurar que as pegas e os postes, em particular, sejam regularmente desinfetados. Pensamos também que é muito sensato praticar uma boa higiene e fornecer um desinfetante à entrada do autocarro".

Existem outras medidas de protecção, especialmente para os condutores?

Heinz Kiess: "Muitos fabricantes e operadores estão atualmente a considerar dividir a cabina do condutor da zona de passageiros com uma folha de Plexiglas ou algo semelhante. Isto deverá proporcionar uma proteção mais eficaz aos condutores. Algumas soluções como esta já foram implementadas. Estamos a receber mais inquéritos a este respeito, especialmente do mercado de autocarros urbanos. Para a nossa nova geração de autocarros urbanos, em breve estaremos em condições de oferecer um ecrã protetor para o local de trabalho do condutor, como equipamento especial instalado de fábrica - e também uma solução adaptada através do serviço pós-venda. Também recebemos pedidos de informação para todos os outros veículos operados pelos nossos clientes, tais como autocarros interurbanos. No MAN Bus Modification Center em Plauen, podemos implementar rapidamente soluções personalizadas para casos específicos. Já existem algumas ideias para autocarros a serem desenvolvidas em estreita cooperação com as respetivas empresas. Atualmente, os regulamentos e especificações a nível internacional são muito inconsistentes, razão pela qual estamos a tentar discutir e implementar boas ideias que transcendem as fronteiras nacionais".